“Hão de ter justificativas… Hão de ter pessoas para tais…”

  Há de haver dor, há de haver brigas e tormentos. Há de haver queixas, frustrações e rancores. Há de haver dias muitos frios, dias muito quentes e dias mórbidos. Haverá dias de sorrisos e dias de lágrimas; dias de morte. Faltarão dias, sobrará tédio. Faltarão abraços e sobrarão tapas.

  Há de haver a dúvida, o receio… Há de haver uma vontade má, um sentimento de fuga. Há de haver a sensação de decepção, de ilusão, de tortura. Há de haver dificuldades quase que insuperáveis; tristezas quase irremediáveis e dores, muitas dores… Mas não importa. Farão as pazes outra vez; vão pedir desculpas. Beijar-se-ão outra vez e fugirão da culpa. Há quem diga que quando se ama de verdade, a chama sempre se reacende e um abraço apertado sempre nos remete para onde tudo começou.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: